Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AVELAR EM MOVIMENTO

Quinta-feira, 29.03.07

Como estamos a chegar ao primeiro dia do mês - dia da edição do JORNAL HORIZONTE - e como no mês passado coloquei um artigo de opinião nesse jornal, lembrei-me de colocar aqui esse mesmo artigo mas na sua versão completa e não resumida que foi publicada no Jornal Horizonte, por ter saído na rubrica "opinião dos leitores".

Ora cá está o artigo:

"Vem este artigo a propósito de algumas vozes pessimistas e saudosas do passado que se têm ouvido e fazem lembrar os muitos “velhos do Restelo” que ainda se vão encontrando aqui e ali…e continuam com falhas de visão nas apreciações e nos juízos de valor que fazem sobre a nossa vila e sobre as nossas gentes. Quando se fala ou se escreve sobre um assunto é necessário ter uma visão de conjunto, não se pode tomar a parte pelo todo…; convém também analisar in loco e demoradamente o objecto do nosso interesse, pois não é de longe e através de vislumbres ou de observações feitas por outras pessoas que conhecemos a realidade. Nem sempre se pode confiar nos relatos de outros, é que podem estar de má fé ou só ver um aspecto da questão. Nós, que vivemos aqui, sabemos que esta é (e sempre foi…) uma terra de gentes empreendedoras que não ficam à espera que a vida aconteça, mas fazem-na acontecer…
O empreendorismo e não conformismo que caracteriza o povo de Avelar, vem de longe. Já em 1514, em consequência do seu grau de desenvolvimento, Avelar passou a ter o estatuto de vila pelo foral concedido por D. Manuel I. A atestar este contrato entre o povo e o rei, temos o Pelourinho, na Rua 12 de Novembro. Em 1680 foi oficialmente criada a freguesia de Avelar, por petição ao Papa pelos moradores de Avelar, descontentes pelo facto de a Igreja Matriz situada em Aguda ficar a grande distância, entre outros inconvenientes. Mais uma vez esta gente foi reivindicativa e batalhadora e assim alcançou os seus intentos. Os anos vão passando e vão confirmando as qualidades dos habitantes de Avelar. Mais próximo dos nossos dias, encontramos um grupo de republicanos, que, descontentes com a situação política do país, pugnava por uma vida melhor, tentando a queda da velha monarquia, o que viria a acontecer em 5 de Outubro de 1910 e referimo-nos concretamente a José Augusto de Medeiros, José Adelino Figueiredo Medeiros e Adolfo de Figueiredo. Foi também por volta desta época que o “milagre do forno” teve o seu apogeu e era presenciado por milhares de pessoas durante a festa e romaria de N.ª Sr.ª da Guia – descoberta a origem do “milagre”, fruto da religiosidade e criatividade das gentes desta terra, foi a freguesia excomungada pelo Bispo de Leiria e fechada a igreja. Este facto não impediu as pessoas de continuarem a fazer as suas orações à porta da igreja. Foram também as ofertas e promessas dos crentes de Nossa Senhora da Guia que possibilitaram a construção do respectivo hospital e igreja.
O modo de vida da população era a agricultura, o pastoreio e a criação de ovelhas e cabras, que, além de fornecerem o leite e a carne, davam a lã que serviria, depois de fiada, para tecer em teares de madeira, manuais. Com o passar do tempo, estes teares foram sendo substituídos por teares mecânicos. Fabricavam estamenha (paninho), xailes, cobertores, mantas e meias. Seguindo sempre no caminho da renovação e da modernização, na década de sessenta as empresas que entretanto se haviam formado, chamam técnicos especializados da Covilhã, que com a família aqui se fixam. É também aqui que as populações vizinhas encontram trabalho. Em 1974/1975, a crise que o País atravessa obriga algumas empresas a fechar. Hoje continuam a laborar a Fiar, a Fareleiros, a V. Fino, a Finistex e a Pivot, cujos empresários souberam adaptar-se aos novos tempos e, apesar da crise internacional que se vive na área dos têxteis, têm vindo a diversificar os seus produtos, a fazer fusões com outras empresas – a Mondorel de Coimbra e a Barros da Castanheira de Pêra; e mesmo a estabelecer empresas noutros países da Europa…
Também na área da saúde, da educação e da cultura o Avelar se tem salientado: temos o Hospital Nossa Senhora da Guia, bem referenciado a nível nacional, e que em breve será o centro de urgências de toda a região do interior norte do distrito; temos o Centro de Saúde, construído de raiz há alguns meses atrás, e vários consultórios médicos; temos o apoio à 1.ª infância, com creches e jardim de infância; quanto à 3.ª idade há um centro de dia e um lar; na área da educação temos todos os níveis de ensino: Jardim de Infância – frequentado por crianças dos 3 aos 5 anos, a da Escola do 1.º ciclo, para crianças dos 6 aos 10 anos, temos a EB 2,3 para jovens dos 11 aos 16 anos e a Escola Tecnológica e Profissional Sicó para os jovens a partir dos 16 anos. Aqui permitam-nos fazer um parêntesis e falar um pouco do que tem sido a história recente destas escolas, que devido ao trabalho que têm desenvolvido merecem ser destacadas. A actual Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos teve a sua origem no Colégio Infante de Sagres, dedicado ao Ensino Particular e Cooperativo. Iniciou a sua actividade em 1961 e nasceu da vontade dos nossos empresários. Passou para o Estado e foi uma delegação da Escola Preparatória de Ansião. Tornou-se independente e é a agora a Escola dos 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico. Actualmente é a sede do Agrupamento de Escolas de Avelar, a que pertencem as Escolas do 1.º Ciclo e Jardim de Infância da Freguesia de Chão de Couce e a Escola do 1.º Ciclo e Jardim de Infância de Avelar. Este Agrupamento de Escolas, desde há anos que tem vindo a ser reconhecido como um exemplo de trabalho e de ensino actual e inovador devido aos projectos que tem desenvolvido na área das Novas Tecnologias da Informação e Comunicação, no intercâmbio com outras escolas e na área das Ciências e do Desporto. Tem sido convidado a mostrar os seus trabalhos quer a escolas nacionais quer a escolas europeias. Foi devido a este dinamismo e entusiasmo de professores e alunos que este Agrupamento foi escolhido para desenvolver um projecto-piloto, a nível nacional e até mundial, na Escola do1.º Ciclo de Avelar: cada aluno tem um computador portátil (Tablet PC), as salas estão equipadas com quadros electrónicos e projectores multimédia, com ligação à Internet de Banda Larga. O velho quadro de lousa foi posto de parte, desde o dia 20 de Fevereiro de 2005 que alunos e professores não usaram mais o giz. Agora a caneta é digital e todos têm uma janela aberta para o mundo na ponta dos seus dedos: a Internet. Este projecto foi da autoria do engenheiro Roberto Carneiro, ex-ministro da Educação.
Merece também destaque a Escola Tecnológica e Profissional Sicó, a comemorar quinze anos dedicados a formar, técnica e profissionalmente jovens e a garantir-lhes emprego, e tem mostrado ser uma escola de futuro, com projectos inovadores, alguns dos quais já premiados internacionalmente.
Temos também a destacar a Sociedade Filarmónica Avelarense com as valências de banda, grupo coral e escola de música; e o Clube Atlético Avelarense com a ocupação de jovens no futebol, com equipa de infantis, juvenis e seniores, e onde cerca de duzentos atletas praticam desporto.
É assim o Avelar de hoje: com empresas fabris, comércio e construção civil em crescimento, com um mercado semanal onde se encontra várias espécies de peixe fresco, hortaliças e frutas, com um parque escolar renovado e com tecnologia de ponta, com associações de músicos e de desportistas cheias de dinamismo e de projectos, com um centro hospitalar com todas as valências de saúde, com uma Biblioteca Pública, com um Pavilhão Desportivo bem equipado e onde se pratica Educação Física e outros desportos quase 24 horas por dia e onde equipas de nível nacional, de várias modalidades vem fazer estágio; com uma Praça de linhas modernas que é a grande sala de visitas e ex libris de Avelar, juntamente com o Forno e a grandiosa Festa e Romaria de N.ª Sr.ª da Guia que todos os anos no primeiro fim de semana de Setembro traz milhares de pessoas a esta nossa Freguesia; com um aumento contínuo do número de habitantes como mostra o último recenseamento que coloca a freguesia de Avelar como sendo a única das freguesias do concelho de Ansião que tem apresentado um crescimento positivo… e que permitiu que a freguesia fosse de novo promovida à categoria de vila em 21 de Junho de 1995 (tinha perdido este título em 1836, com uma das reformas administrativas) - Lei n.º 47/95, publicada no Diário da República  de 30 de Agosto.
Todo este potencial humano, físico, escolar, estrutural e empresarial vai continuar a dar os frutos e trazer a esta região e às suas gentes um futuro esperançoso. Não é pois de estranhar que daqui a algumas dezenas de anos esta vila juntará a si todas as povoações que já agora a envolvem – Barqueiro, Maçãs de D. Maria, Chão de Couce, Aguda e Almofala, Cumeeira e Vendas das Figueiras – e que, quando à noite se desce o IC 8 na direcção de Ansião para Figueiró dos Vinhos, todos os pontos luminosos das suas inúmeras lâmpadas, juntos, parecem pertencer já a uma só e promissora cidade, cujo nome será Avelar….
São estes indicadores que vêm contrariar as ideias preconcebidas dos tais “velhos do Restelo” que ainda resistem a todo este movimento contínuo de que está dotada a população e a vila de Avelar de seguir sempre em frente…."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 18:25

NIM - A ÁRVORE DA VIDA

Quarta-feira, 28.03.07

Descobri como se chama uma das muitas árvores que temos nas ruas de Avelar, é uma "Sarva Rogha Nivarani" ou simplesmente "Nim", também conhecida como a "árvore da vida". O Nim é uma árvore milenar originária do subcontinente indiano. As árvores do NIM são frondosas e podem alcançar 15 m de altura e 2,5 m de circunferência. A distribuição de seus galhos formam coroas de até 10 m de diâmetro. Seu tronco, geralmente recto e curto, tem uma casca grossa, forte e enrugada. As raízes penetram profundamente no solo. As pequenas flores brancas e bissexuais nascem em cachos e seu aroma parecido com o do mel atraem as abelhas.

 

   
O Nim é uma das plantas mais pesquisadas nos últimos 10 anos por cientistas do mundo inteiro. Tem sido cultivado e com crescente utilização nos Estados Unidos da América, Austrália, países da África, América Central e países da América do Sul como o Brasil.

Aqui estão algumas características desta interessante árvore: estudos e pesquisas identificaram mais de cento e vinte princípios activos benéficos tanto para uso humano como para uso animal. Seu amplo espectro de bioactividade contra os organismos que causam danos a saúde estão identificados e potencializados na descrição dos mais importantes princípios activos e seu modo de acção:
             
Fonte: www.neemfoundation.org

 


Azadirachtin: Repelente
Nimbin: Anti-inflamatório, anti-pirético, anti-histamínico e anti-fungíco.
Nimbidin: Anti-bacteriano, anti-ulcerativo, analgésico, anti-arrítmico, anti-fúngico e anti-virótico.
Nimbidol: Tuberculostático, anti-protozoário e anti-pirético
Sodium nimbinate: Diurético, anti-reumático.
Gedunim: Vasodilator, anti-malárico e antifúngico
Salannim: Repelente
Quercetin: ação anti-protozoária, anti-oxidante, anti-inflamatório e bactericida.
Nimbenine, Desacetylnimbinase, Nimbandiol, Nimbolide: actuam em infecções por parasitas da pele, são inibidores da coagulação do sangue.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 20:34

O Tratado de Roma

Segunda-feira, 26.03.07

50 anos dos Tratados de Roma50 anos dos Tratados de Roma50 anos dos Tratados de Roma

Os cinquenta anos do Tratado de Roma
Por toda a Europa ocorreram celebrações que celebravam o cinquentenário do Tratado de Roma, assinado em 25 de Março de 1957, que cria a Comunidade Económica Europeia (CEE), ou "mercado comum", cujo objectivo é a livre circulação das pessoas, das mercadorias e dos serviços entre os Estados-Membros.
Para assinalar esta data, a Comissão Europeia lançou um website especial - http://europa.eu/success50/index_pt.htm - que destaca os benefícios que a integração europeia proporcionou aos cidadãos europeus durante os últimos 50 anos e aponta caminhos para que se mobilizem na construção do futuro da União Europeia.
Por toda a Europa foram realizadas celebrações.
 
Em Portugal foi estabelecido um programa oficial de comemorações, o Centro de Informação Europeia Jacques Delors participa neste programa e desenvolve um conjunto de outras actividades.
 
 
Programa oficial de comemorações em Portugal
  • Debate dos jovens “A tua Europa – o teu futuro” - 2 e 3 de Março
  • Encontro com jovens - 22 Março, 15h30
  • O que nos une: seminário na Universidade Nova de Lisboa - 22 e 23 Março
  • Fados sinfónicos nos jardins da Torre de Belém- 25 Março
  • Palácios na Política Europeia Portuguesa - 25 Março
  • O que nos toca: centenas de bandas em simultâneo - 25 Março 
  • Lançamento de moeda comemorativa - 25 Março
  • Europa - Smiling Europe: livro de cartoons - 25 Março
  • Colóquio sobre direito comunitário - Univ.Nova - 19 e 20 Abril
  • Concurso nacional de ensaios sobre a UE - 25 a 31 Maio 
  • Selo comemorativo - 50 anos do Tratado
 
Também na Freguesia de Avelar se comemorou esta importante data. A Sociedade Filarmónica Avelarense deu um concerto, depois de ter interpretado o Hino da Alegria, assim como outras 200 bandas espalhadas pelo País, às 16h de Domingo. O Agrupamento de escolas de Avelar, a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia associaram-se também a estas comemorações.
FOTOS
 
 

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 16:29

Avelar - a sua história

Quinta-feira, 22.03.07

Hoje, lembrei-me de colocar aqui um texto sobre as origens e história da vila de Avelar. Penso que vai ser útil a estudantes, dentro da idade escolar e fora da idade escolar e também vai servir para todos os outros que o lerem fiquem a conhecer um pouco melhor a freguesia de Avelar.

A vila de Avelar é uma das oito freguesias do concelho de Ansião. pertence ao distrito de Leiria. "Avelar" é uma variante do português arcaico "avelanal", ou seja "terreno onde crescem aveleiras". O povoamento do território desta freguesia deverá acender a épocas pré-romanas: aqui passava a via romana de Conímbriga a Sellium. O seu traçado manteve-se até hoje, sendo visíveis alguns vestígios na zona entre Tojeira e Pontão: um troço de calçada.

São também muito remotas as primeiras referências a esta povoação.

D. Afonso Henriques, em 1137 cita "Avellaal" e "Almafalla" no foral concedido a Penela, pois ambas se situavam no seu termo sul.

Em Maio de 1219, D. Sancho I concede a D. Maria Paes Ribeiro a herdade de Almofala, que confinava a norte com o termo de Penela, a leste com o de Figueiró dos Vinhos e a sul com o de Arega.

Em 1221, D. Afonso II coutou a herdade de régia situada entre os termos de Penela e de Maçãs de D. Maria e doou-a ao seu alferes Martim Anes - era a Herdade de Avelar.

Em 1514, D. Manuel I concede Foral Novo a Avelar, que passou então a ter o estatuto de vila.

Depois da restauração da independência, foi extinta a Casa dos Marqueses e Duques de Vila real, a quem pertencia a Herdade de Avelar. Todos os seus bens passaram para a Casa do Infantado, na pessoa do Infante D. Pedro.

Em 1680 foi oficialmente criada a freguesia de Avelar, por petição ao Papa, pelos moradores de Avelar, alegando a distância à Igreja Matriz (Aguda), entre outros inconvenientes.

Por decreto régio de 31 de Dezembro de 1836 (ou 1834), Avelar acabaria por perder o estatuto de vila e cabeça de concelho, para ser incorporada no concelho de Chão de Couce; este veio a ser extinto em 24 de Outubro de 1855, sendo Avelar integrada no concelho de Figueiró dos Vinhos; porém viria  a ser desanexada deste em 1895, para passar a integrar o concelho de Ansião.

O orago da Paróquia de Avelar, o Divino Espírito Santo, mostra que esta é posterior à Idade Média, tendo surgido dentro da povoação de Aguda.

Do património da freguesia fazem parte a Igreja Matriz; o Pelourinho, classificado como Imóvel de Interessa Público, pelo decreto lei n.º 23122, publicado no então Diário do Governo n.º 231 de 11 de Outubro de 1933; o forno de Sr.ª Sr.ª da Guia; e as capelas de Santo Amaro, de São Roque e de Santo António.

A indústria têxtil tem sido um dos motores do desenvolvimento da vila de AvelarTeve a sua origem na povoação de Lomba da Casa, concelho de Figueiró dos Vinhos. Daqui é natural a família Moreira, cujos descendentes, ao casar, fixaram residência em Avelar. Surgiram várias casas onde se tecia em teares de madeira, manuais. Com o passar do tempo, estes teares foram sendo substituídos por teares mecânicos. Até 1920 foram fundadas as seguintes empresas: António Curado Luís, Manuel Augusto, José Saraiva, Manuel Duarte Moreira, Manuel Ferreira Jacob, Miguel Carvalho Rosinha, João Simões Fareleiro e Filho, João Simões dos Santos, António Lopes Rego Jacob, Custódio Nunes, António Lopes e José Godinho, Sebastião Brás Medeiros, João Nunes, António dos Santos Fino, Nunes e Godinho,...

Fabricavam estamenha (paninho), xailes, cobertores, mantas e meias.
A publicidade que fazem é muita, a qualidade é boa e a fama da indústria de Avelar é cada vez maior...

Na década de sessenta as empresas modernizam-se, chamam-se técnicos especializados, da Covilhã, que com a família aqui se fixam. É também aqui que as populações vizinhas encontram trabalho. Em 1974/1975, a crise que o País atravessa, obriga algumas empresas a fechar.

Actualmente estão a laborar a Fábrica Fareleiros, a Finistex e a V. Fino.

Os teares são agora os mais modernos do mercado.

A indústria diversifica-se e surgem as confecções, sendo a Pivot, a que mais se destaca.
Todavia, a tradição ainda se mantém. O senhor José Maria Freitas Alves continua a tecer bonitas mantas e tapetes nos tradicionais teares de madeira.

A indústria têxtil e o comércio foram as actividades que permitiram o desenvolvimento verificado levaram a que a freguesia voltasse a ser elevada à categoria de vila. Em Maio de 1994, é apresentado na Assembleia da República um projecto-lei que prevê a elevação de Avelar à categoria de vila. Em 21 de Junho de 1995 a lei é aprovada e publicada no Diário da República  de 30 de Agosto - Lei n.º 47/95.
Nos aspectos culturais e recreativos temos de referir o importante trabalho levado a cabo pela Sociedade Filarmónica Avelarense no campo musical e vocal e o Atlético Clube Avelarense na formação de jovens em actividades desportivas.

Também na área da saúde há a destacar a Fundação Nossa Senhora da Guia com as valências de hospital, lar de 3.ª idade, infantário e ocupação de tempos livres de crianças em idade escolar.

Todos os anos se realiza a Festa e Romaria de Nossa Senhora da Guia, no primeiro fim de semana de Setembro. Estas festividades trazem milhares de pessoas à freguesia. São festejos de grande tradição e com uma já longa história que vem do século XVIII, aquando da construção da Capela de Nossa Senhora da Guia. Esta foi construída com o produto das esmolas que os devotos ofereciam a N.ª Sr.ª da Guia. Esta devoção teve a sua origem na lenda das aparições de uma formosa menina no lugar do Fetal e onde foi edificada uma pequena capela.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 12:23

Centro de Saúde

Segunda-feira, 19.03.07

No dia 3 de Fevereiro de 2005 foi inaugurado o novo Centro de saúde de Avelar.

Estiveram lá altas individualidades da região: Presidente da ARS, Governador Civil, Presidente da Câmara Municipal, Presidente da Junta de Freguesia, Director do Centro de saúde, médicos, avelarenses e....

Foi um dia grande para a população avelarense.

Individualidades na inauguração do Centro de Saúde    

 

Inauguração do Centro de Saúde

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 17:42








comentários recentes

  • Sílvio Barros

    Gostaria de saber se já alguém consegue arranjar-m...

  • Esmeralda

    Olá! Sou produtora dessa arvore e têm razão, o nee...

  • Jaime Trancoso vieira

    Olá boa noite, tenho acompanhado o blog e os comen...

  • Jaime Trancoso vieira

    Olá boa noite, tenho acompanhado o blog e os comen...

  • Batotinha

    Olá. Andava à procura de informação e sementes des...

  • MARCOS AVELAR

    Cara Dª Filomena,Sou brasileiro,descendo de portug...

  • Carlos Freitas

    Saudades.Grande treinadorPassei momentos muito fel...

  • Filomena

    Olá, Mena!Se quiser colher as sementes da árvore d...

  • mena

    Ola Filomena sosia de nome" ando aprocura da arvor...

  • J. Sobota

    Boa tarde e obrigado!




subscrever feeds