Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O escolhido

Quarta-feira, 28.05.08

 

Já saiu a Declaração da Agência Portuguesa do Ambiente sobre o Impacte Ambiental da construção do IC3 Tomar/Coimbra, que esteve em consulta pública entre o dia 4 de Janeiro 6 de Março, deste ano.
Nesta Declaração constam: a decisão tomada, as condicionantes, os elementos a entregar em fase de RECAPE, as medidas de minimização, o programa de monitorização, e o resumo dos procedimentos, dos pareceres das entidades consultadas e do resultado dos 52 pareceres recebidos após a consulta pública.
 
O itinerário escolhido foi o que se encontra sublinhado a tracejado  verde na imagem e que é uma conjugação da solução 1 e solução 2 com as alternativas 5 e 7, na área da nossa Freguesia (Sol.1+Alt5+Sol.2.+Alt.7+Sol.1).
Estes documentos estão disponíveis, para consulta, na Agência Portuguesa do Ambiente, na Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do centro e Lisboa e Vale do Tejo e nas Câmaras e juntas de Freguesia dos municípios atravessados pelo IC3.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 12:05

O Criador

Terça-feira, 27.05.08

Recebi hoje este endereço por e-mail:

 

http://redir.mivzakon.co.il/use/use.aspx?id=20325

 


Achei tão interessante que não resisti a partilhá-lo com os meus já mais de onze mil visitantes...

 

Dêem lá uma espreitadela...

 

Espero que gostem...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 12:31

Um vencedor (1)

Quinta-feira, 22.05.08

Cristiano Ronaldo, natural da Madeira, nasceu a 5 de Fevereiro de 1985.
Pedia sempre a todos os seus familiares e amigos uma bola como prenda de aniversário. A sua vida era jogar futebol.
O seu primeiro clube foi o Clube Futebol Andorinha de Santo António.
 Aluno pouco aplicado, era no recreio, a jogar a bola com os amigos, que se sentia feliz. Em 1995 ingressa nos infantis do Clube Desportivo Nacional da Madeira. Logo na sua primeira época, mostrou o seu valor ao vencer o campeonato de infantis, conquistando assim o primeiro título como jogador de futebol.
 
.
Com apenas 11 anos de idade vem para Lisboa, jogar nos juvenis do Sporting Clube de Portugal. A sua estreia nos relvados foi em Setembro de 2002, quando tinha dezassete anos de idade.
Durante a temporada 2002/2003, Cristiano Ronaldo actuou em vinte e cinco partidas, tendo marcado três golos pelo Sporting.
No jogo de estreia do novo estádio Alvalade XXI do Sporting Clube de Portugal, Cristiano Ronaldo fez um jogo de tal modo empolgante que os jogadores do Manchester United, pediram a Sir Alex Ferguson que o escolhesse para substituir David Beckham, que tinha ido para o Real Madrid. A partir daqui tem jogado sempre pelo Manchester.
 
É muito criticado pelo comportamento arrogante que tem em campo e tem sido castigado pelos jogadores adversários com duras entradas, quando não têm capacidade para aguentar a sua velocidade e os seus dribles rápidos e estonteantes. É considerado uma das maiores revelações no futebol dos últimos tempos.
 
Irá receber este ano a Bola de Ouro, uma vez que não tem, praticamente, qualquer adversário, visto o segundo classificado tem menos seis golos que Cristiano Ronaldo, que fez trinta e um golos. Ele é um vencedor e  vai, assim, tornar-se o primeiro extremo a vencer a Bola de Ouro, juntando-se aos também portugueses Eusébio e Fernando Gomes no lote de jogadores que já venceram o prémio de melhor marcador.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 20:34

A tão falada...

Quarta-feira, 14.05.08

 

A tão falada Yoani Sanchez, além de ter recebido o Prémio Ortega y Gasset 2008, foi considerada pela conceituada revista Times uma das 100 personalidades mais influentes de 2008, perante as muitas perguntas que lhe faziam e dúvidas que tinham a seu respeito, escreveu o seguinte:

"- Nací en un solar de Centro Habana, en una de las esquinas de mi calle decía “Jesús Peregrino” y en la otra “Jesús Pelegrino” (de manera que desde niña he aprendido a convivir con la multiplicidad de formas con las que se puede nombrar a una misma cosa).
- No tengo ningún pedigree familiar que me avale para nada, como no sea la habilidad para apretar tuercas y reparar equipos eléctricos heredada de mi padre, maquinista de trenes que en la crisis de los noventa cambió su uniforme azul y blanco por un puesto de ponchero de bicicletas.
- Muchos de los que me conocen creen que tengo “guayabitos en la azotea”, “me falta un tornillo” o “estoy ida del coco”. Todo lo que he hecho en esta vidita (meterme en problemas, escribir una tesis sobre la literatura de la dictadura en Latinoamérica, unir mi vida a un periodista en desgracia, regresar a mi país y postear en este Blog) bien podría ser visto por un especialista como manifestaciones de un desorden psiquiátrico. Todo es posible…
- A los que afirman –bajo la impunidad de un seudónimo- que soy del G2, quiero aclararles que muy pocos en Cuba lo siguen llamando así. Ahora le decimos “la seguridá”, “el Aparato”, “la maquinaria”, “el Armagedón”, “la trituradora”, “los muchachos” o solamente “ellos”. Si alguien le preguntara a un joven “Oye ¿tú sabes qué cosa es el G2?” quizás respondería que se trata de un grupo de Rock o de una marca de zapatos.
- No pienso dar ninguna prueba que niegue esas acusaciones de “infiltrada”. A los que les alivia y les quita la culpa creer que “me atrevo porque estoy protegida o que me han mandado a decir todo esto”, pues adelante. Cada cual –al menos en el pequeño espacio de este Blog- puede pensar y comentar lo que quiera.
- En relación con el dinero, la base material o el salario, me gusta citar a mi marido cuando dice que tengo “alma de fakir”. Me visto con lo que aparezca, hace años que no tengo más que un par de zapatos y como una vez al día. Una sola obsesión de “consumo” recorre ahora mi vida: postear. El dinero que me gano traduciendo del alemán, enseñándole la Habana a un par de turistas o vendiendo mis viejos libros de la universidad, lo invierto –cuando puedo- en pagar media hora de Internet. Por eso mis apariciones en “Generación Y” son a saltos y no con la frecuencia de una bitácora.
- ¿Por qué yo tengo un Blog y otros no? Porque soy de una generación que ha aprendido a moverse en el mundo de la tecnología, incluso teniendo que armar su propio PC con piezas compradas en el mercado negro. Una de las contradicciones que se está dando en la Cuba de hoy, es que los que tienen cosas más interesantes que contar, son en su mayoría analfabetos informáticos. O sea, que los asiduos lectores de blogs tienen que conformarse con gente como yo, sin pedigree, pero para quien el mouse es una prolongación del propio cuerpo."
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 14:31

13 de Maio

Terça-feira, 13.05.08

 

 

Em Fátima, reza por nós!

 

http://fotos.sapo.pt/7IDg6tfrtaAwlVwJWK6j/

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 15:07

Yoani Sánchez

Segunda-feira, 12.05.08

 

Yoani Sánchez é uma rapariga cubana que tem um blog - Gerneracón Y - que desde Cuba tem escrito vários posts. Este blog chamou a atenção internacional pelos temas que ali são tratados, principalmente após a passagem do poder de Fidel Castro para o seu irmão Raul.

 

Todos os cubanos estão à espera de uma nova ordem  que tarda a chegar ao seu país de modo a poderem viver como cidadãos de um país livre e democrático. 

 

As ideias de Yoani, expressas no blog, foram premiadas com o galardão "Premio Ortega y Gasset 2008", o qual deveria ir receber a Barcelona. Mas a junta militar que governa Cuba proibiu-a de sair do país, tendo-lhe sido retirado o passaporte.

 

Mas ela não desiste e continua a escrever as suas crónicas reveladoras da vida de um país amordaçado, aqui:

 

                                           http://desdecuba.com/generaciony/ 

 

Palavras de Yoani Sánchez - «Olvidan ellos que en el ciberespacio mi voz puede viajar sin límites, salir y entrar sin pedir permiso… No importa si mantienen retenido mi pasaporte. Desde hace un año tengo otro que en el acápite de nacionalidad exhibe una breve palabra: “blogger”.»

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 16:26

Florbela Espanca

Quarta-feira, 07.05.08
Nasceu em Vila Viçosa, em Dezembro de 1984. Em 1903, com sete anos, escreveu a sua primeira poesia “A vida e a Morte”.
Em 1907 manifestam –se os primeiros sintomas da doença que sempre a acompanhou, a neurastenia, e que a tornou numa mulher melancólica.
Estudou em Évora. Em 1914 abre um colégio, onde lecciona, no Redondo, Serra d´Ossa.
Faz o curso de direito em Lisboa. Passa por diversos casamentos e respectivos divórcios.

Vê várias obras publicadas: “Trocando Olhares”, “Livro das Mágoas”, “Claustro de Quimeras”, “Livro de Soror Saudade”,...
Entretanto morre o seu irmão e torna-se uma mulher triste, desiludida e muito nervosa.
Escreve “As Máscars do Destino”, de onde foi extraído o conto que publiquei em folhetins nas últimas três semanas, aqui no blog.
Tenta suicidar-se por duas vezes. A sua neurose agrava-se. É-lhe diagnosticado um edema pulmonar. A oito de Dezembro de 1930, dia do seu nascimento e do seu primeiro casamento, suicida-se.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 21:18

Já não há amores assim...

Terça-feira, 06.05.08
As orações de Soror Maria da Pureza (XVII, último)
  
... “Orações de amor, sacrílegas, blasfemas orações de pecado, a um noivo-morto, rezadas num convento de Toledo, aos pés dos altares, por bocas puras, que estranhas orações de pecado!...
  
De pecado?... Não... que Soror Clara das Cinco Chagas, a severa e ríspida superiora , ao ouvi-las rezar um dia por uma das pequeninas na capela do Sagrado Coração, dissera suavemente, erguendo os olhos ao céu:
- Sagrado Coração do Senhor, ouvi-a!”
  
 
in “As máscaras do destino” de Florbela Espanca

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Filomena às 10:34

Já não há amores assim...

Segunda-feira, 05.05.08
As orações de Soror Maria da Pureza (XVI)
... “No convento cada vez se dizia com mais insistência que Soror Maria da Pureza era santa. Tinha êxtases e visões. Mal poisava os pés no chão, não comia, não se deitava. De noite estendia os braços em cruz, e sorria. O velho capelão curvava-se reverente quando ela passava, quase imaterial, pelos corredores escuros.. Tinha o andar baloiçado e sereno de quem caminha no andor em procissão.. Resplandecia. Parecia feita de luz.
   
Uma das pequeninas dizia ter visto a velha acácia, que já não dava flores, deixar cair pétalas no chão aos pés da vinha virgem, uma tarde em que Soror Maria da Pureza lá rezara uma oração.
E no plácido silêncio dos claustros, onde o gorgeio do veiozinho de água continuava a afagar os lírios roxos, no coro onde os vitrais transformavam, como alquimistas, o sol em pedras preciosas, na cerca cheia de murmúrios e risos de passarinhos, na igreja onde Nossa Senhora da capelinha cheia de luz continuava dia e noite a sorrir ao menino que lhe estendia os braços, no banco, sob o dossel da vinha virgem, por toda a parte, enfim, Soror Maria da Pureza, indiferente a tudo, cada vez mais exangue, mais frágil, mais luminosa, continuava a rezar as suas orações, que andavam de boca em boca e que eram mais lindas e mais ferverosas que as de Santa Teresa.” ...                            continua
in “As máscaras do destino” de Florbela Espanca

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Filomena às 10:23

Já não há amores assim...

Domingo, 04.05.08
As orações de Soror Maria da Pureza (XV)
    
... “«- Sim, as tuas palavras só eu as posso entender, só podem ungir os meus ouvidos, óleo santo que os meus ouvidos reconhecem como um orvalho do céu. Amo-te e adoro-te. Quando nasci, também já nasceste comigo; foram os teus divinos passos, que ouvi quando fui ao teu encontro, que traçaram no chão este caminho de flores.
   
Se me encontraste foi porque eu te procurava, porque os meus braços em cruz se estendiam – para a tua presença. Já estava contigo em espírito, espírito eleito, essência perfeita e invisível que se fez carne para me salvar.»
As monjas decoravam as palavras que andavam já de boca em boca, que as mestras ensinavam às educandas, que eram rezadas por todas, aos pés dos altares com o maior fervor e devoção.
«- Indigna pecadora, como foi que eu te mereci?! Indigno sacrário, onde misericordiamente deixas cair o mel das tuas palavras de amor! Toda a minha alma em preces, de joelhos, de mãos postas, não é bastante para te pagar o bem que sobre mim desce das tuas mãos abertas, a altura a que me elevas, o êxtase em que vivo a esperar-te. Bendito sejas! Por ti, deixar-me-ia cruxificar, o sangue das minhas chagas beijá-lo-ia para resgatar os meus pecados.
Não tenho medo da noite, meu Amor: a noite é que te traz no seu manto estrelado. Não me atrevo a estender para ti as minhas mãos, teria receio de me queimar no fogo abrasador do teu divino amor por mim. Tenho medo de blasfemar quando passam pelos meus lábios, como as contas de um rosário, as letras do teu nome; tenho medo de as não ungir com todo o fervor da minha devoção.»” ..                           continua
   
in “As máscaras do destino” de Florbela Espanca

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Filomena às 11:27


Pág. 1/2








comentários recentes

  • Anónimo

    Olá Esmeralda.Tenho interesse na arvore, e nos seu...

  • Sílvio Barros

    Gostaria de saber se já alguém consegue arranjar-m...

  • Esmeralda

    Olá! Sou produtora dessa arvore e têm razão, o nee...

  • Jaime Trancoso vieira

    Olá boa noite, tenho acompanhado o blog e os comen...

  • Jaime Trancoso vieira

    Olá boa noite, tenho acompanhado o blog e os comen...

  • Batotinha

    Olá. Andava à procura de informação e sementes des...

  • MARCOS AVELAR

    Cara Dª Filomena,Sou brasileiro,descendo de portug...

  • Carlos Freitas

    Saudades.Grande treinadorPassei momentos muito fel...

  • Filomena

    Olá, Mena!Se quiser colher as sementes da árvore d...

  • mena

    Ola Filomena sosia de nome" ando aprocura da arvor...




subscrever feeds