Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AVELAR EM MOVIMENTO

Quinta-feira, 29.03.07

Como estamos a chegar ao primeiro dia do mês - dia da edição do JORNAL HORIZONTE - e como no mês passado coloquei um artigo de opinião nesse jornal, lembrei-me de colocar aqui esse mesmo artigo mas na sua versão completa e não resumida que foi publicada no Jornal Horizonte, por ter saído na rubrica "opinião dos leitores".

Ora cá está o artigo:

"Vem este artigo a propósito de algumas vozes pessimistas e saudosas do passado que se têm ouvido e fazem lembrar os muitos “velhos do Restelo” que ainda se vão encontrando aqui e ali…e continuam com falhas de visão nas apreciações e nos juízos de valor que fazem sobre a nossa vila e sobre as nossas gentes. Quando se fala ou se escreve sobre um assunto é necessário ter uma visão de conjunto, não se pode tomar a parte pelo todo…; convém também analisar in loco e demoradamente o objecto do nosso interesse, pois não é de longe e através de vislumbres ou de observações feitas por outras pessoas que conhecemos a realidade. Nem sempre se pode confiar nos relatos de outros, é que podem estar de má fé ou só ver um aspecto da questão. Nós, que vivemos aqui, sabemos que esta é (e sempre foi…) uma terra de gentes empreendedoras que não ficam à espera que a vida aconteça, mas fazem-na acontecer…
O empreendorismo e não conformismo que caracteriza o povo de Avelar, vem de longe. Já em 1514, em consequência do seu grau de desenvolvimento, Avelar passou a ter o estatuto de vila pelo foral concedido por D. Manuel I. A atestar este contrato entre o povo e o rei, temos o Pelourinho, na Rua 12 de Novembro. Em 1680 foi oficialmente criada a freguesia de Avelar, por petição ao Papa pelos moradores de Avelar, descontentes pelo facto de a Igreja Matriz situada em Aguda ficar a grande distância, entre outros inconvenientes. Mais uma vez esta gente foi reivindicativa e batalhadora e assim alcançou os seus intentos. Os anos vão passando e vão confirmando as qualidades dos habitantes de Avelar. Mais próximo dos nossos dias, encontramos um grupo de republicanos, que, descontentes com a situação política do país, pugnava por uma vida melhor, tentando a queda da velha monarquia, o que viria a acontecer em 5 de Outubro de 1910 e referimo-nos concretamente a José Augusto de Medeiros, José Adelino Figueiredo Medeiros e Adolfo de Figueiredo. Foi também por volta desta época que o “milagre do forno” teve o seu apogeu e era presenciado por milhares de pessoas durante a festa e romaria de N.ª Sr.ª da Guia – descoberta a origem do “milagre”, fruto da religiosidade e criatividade das gentes desta terra, foi a freguesia excomungada pelo Bispo de Leiria e fechada a igreja. Este facto não impediu as pessoas de continuarem a fazer as suas orações à porta da igreja. Foram também as ofertas e promessas dos crentes de Nossa Senhora da Guia que possibilitaram a construção do respectivo hospital e igreja.
O modo de vida da população era a agricultura, o pastoreio e a criação de ovelhas e cabras, que, além de fornecerem o leite e a carne, davam a lã que serviria, depois de fiada, para tecer em teares de madeira, manuais. Com o passar do tempo, estes teares foram sendo substituídos por teares mecânicos. Fabricavam estamenha (paninho), xailes, cobertores, mantas e meias. Seguindo sempre no caminho da renovação e da modernização, na década de sessenta as empresas que entretanto se haviam formado, chamam técnicos especializados da Covilhã, que com a família aqui se fixam. É também aqui que as populações vizinhas encontram trabalho. Em 1974/1975, a crise que o País atravessa obriga algumas empresas a fechar. Hoje continuam a laborar a Fiar, a Fareleiros, a V. Fino, a Finistex e a Pivot, cujos empresários souberam adaptar-se aos novos tempos e, apesar da crise internacional que se vive na área dos têxteis, têm vindo a diversificar os seus produtos, a fazer fusões com outras empresas – a Mondorel de Coimbra e a Barros da Castanheira de Pêra; e mesmo a estabelecer empresas noutros países da Europa…
Também na área da saúde, da educação e da cultura o Avelar se tem salientado: temos o Hospital Nossa Senhora da Guia, bem referenciado a nível nacional, e que em breve será o centro de urgências de toda a região do interior norte do distrito; temos o Centro de Saúde, construído de raiz há alguns meses atrás, e vários consultórios médicos; temos o apoio à 1.ª infância, com creches e jardim de infância; quanto à 3.ª idade há um centro de dia e um lar; na área da educação temos todos os níveis de ensino: Jardim de Infância – frequentado por crianças dos 3 aos 5 anos, a da Escola do 1.º ciclo, para crianças dos 6 aos 10 anos, temos a EB 2,3 para jovens dos 11 aos 16 anos e a Escola Tecnológica e Profissional Sicó para os jovens a partir dos 16 anos. Aqui permitam-nos fazer um parêntesis e falar um pouco do que tem sido a história recente destas escolas, que devido ao trabalho que têm desenvolvido merecem ser destacadas. A actual Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos teve a sua origem no Colégio Infante de Sagres, dedicado ao Ensino Particular e Cooperativo. Iniciou a sua actividade em 1961 e nasceu da vontade dos nossos empresários. Passou para o Estado e foi uma delegação da Escola Preparatória de Ansião. Tornou-se independente e é a agora a Escola dos 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico. Actualmente é a sede do Agrupamento de Escolas de Avelar, a que pertencem as Escolas do 1.º Ciclo e Jardim de Infância da Freguesia de Chão de Couce e a Escola do 1.º Ciclo e Jardim de Infância de Avelar. Este Agrupamento de Escolas, desde há anos que tem vindo a ser reconhecido como um exemplo de trabalho e de ensino actual e inovador devido aos projectos que tem desenvolvido na área das Novas Tecnologias da Informação e Comunicação, no intercâmbio com outras escolas e na área das Ciências e do Desporto. Tem sido convidado a mostrar os seus trabalhos quer a escolas nacionais quer a escolas europeias. Foi devido a este dinamismo e entusiasmo de professores e alunos que este Agrupamento foi escolhido para desenvolver um projecto-piloto, a nível nacional e até mundial, na Escola do1.º Ciclo de Avelar: cada aluno tem um computador portátil (Tablet PC), as salas estão equipadas com quadros electrónicos e projectores multimédia, com ligação à Internet de Banda Larga. O velho quadro de lousa foi posto de parte, desde o dia 20 de Fevereiro de 2005 que alunos e professores não usaram mais o giz. Agora a caneta é digital e todos têm uma janela aberta para o mundo na ponta dos seus dedos: a Internet. Este projecto foi da autoria do engenheiro Roberto Carneiro, ex-ministro da Educação.
Merece também destaque a Escola Tecnológica e Profissional Sicó, a comemorar quinze anos dedicados a formar, técnica e profissionalmente jovens e a garantir-lhes emprego, e tem mostrado ser uma escola de futuro, com projectos inovadores, alguns dos quais já premiados internacionalmente.
Temos também a destacar a Sociedade Filarmónica Avelarense com as valências de banda, grupo coral e escola de música; e o Clube Atlético Avelarense com a ocupação de jovens no futebol, com equipa de infantis, juvenis e seniores, e onde cerca de duzentos atletas praticam desporto.
É assim o Avelar de hoje: com empresas fabris, comércio e construção civil em crescimento, com um mercado semanal onde se encontra várias espécies de peixe fresco, hortaliças e frutas, com um parque escolar renovado e com tecnologia de ponta, com associações de músicos e de desportistas cheias de dinamismo e de projectos, com um centro hospitalar com todas as valências de saúde, com uma Biblioteca Pública, com um Pavilhão Desportivo bem equipado e onde se pratica Educação Física e outros desportos quase 24 horas por dia e onde equipas de nível nacional, de várias modalidades vem fazer estágio; com uma Praça de linhas modernas que é a grande sala de visitas e ex libris de Avelar, juntamente com o Forno e a grandiosa Festa e Romaria de N.ª Sr.ª da Guia que todos os anos no primeiro fim de semana de Setembro traz milhares de pessoas a esta nossa Freguesia; com um aumento contínuo do número de habitantes como mostra o último recenseamento que coloca a freguesia de Avelar como sendo a única das freguesias do concelho de Ansião que tem apresentado um crescimento positivo… e que permitiu que a freguesia fosse de novo promovida à categoria de vila em 21 de Junho de 1995 (tinha perdido este título em 1836, com uma das reformas administrativas) - Lei n.º 47/95, publicada no Diário da República  de 30 de Agosto.
Todo este potencial humano, físico, escolar, estrutural e empresarial vai continuar a dar os frutos e trazer a esta região e às suas gentes um futuro esperançoso. Não é pois de estranhar que daqui a algumas dezenas de anos esta vila juntará a si todas as povoações que já agora a envolvem – Barqueiro, Maçãs de D. Maria, Chão de Couce, Aguda e Almofala, Cumeeira e Vendas das Figueiras – e que, quando à noite se desce o IC 8 na direcção de Ansião para Figueiró dos Vinhos, todos os pontos luminosos das suas inúmeras lâmpadas, juntos, parecem pertencer já a uma só e promissora cidade, cujo nome será Avelar….
São estes indicadores que vêm contrariar as ideias preconcebidas dos tais “velhos do Restelo” que ainda resistem a todo este movimento contínuo de que está dotada a população e a vila de Avelar de seguir sempre em frente…."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Filomena às 18:25








comentários recentes

  • Anónimo

    PODE LIGAR PARA MIM 913305895

  • Anónimo

    PODE LIGAR PARA FALAR COMIGO 913305895

  • Chrisol

    olá, vivo nos Açores e faço agricultura em modo bi...

  • Anónimo

    Olá Esmeralda, sou de Coimbra e necessito muito de...

  • FRANCISCO ANTÓNIO FRANCO PATRÍCIO

    Agradeço as informações mas gostaria de saber se a...

  • Inês Godinho

    Boa noite. Em relaçao aos "muros de suporte em bet...

  • Anónimo

    Olá, boa noite Esmeralda. Fiquei encantada com o q...

  • Anónimo

    Boa noite,Gostaria de obter a planta (árvore) ou s...

  • Anónimo

    Olá boa tarde.Estava a procura da árvore de neem, ...

  • Anónimo

    Olá estou a ter informação pela primeira vez sobre...




subscrever feeds